quinta-feira, 19 de julho de 2012

Igreja Mariz de São João Batista

Via Flickr:
Lamy Safari pen,Uni-ball eye micro black and watercolor (Payne's Gray) on sketchbook (leftover paper for engraving - Rives Tradition Bright Cream 250 gm2)

VIsta da Igreja Matriz de São João Batista em Botafogo, por sobre casas de sobrados.

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Vila de casas em Botafogo, Rio de Janeiro

Via Flickr:
Vila de casas no bairro de Botafogo, no Rio de Janeiro.
Lamy Safari pen, Noodler's ink, gouache and watercolor on Moleskine Sketchbook (5.2X8.2 in).

O bairro de Botafogo ainda resiste (pouco) ao avanço imobiliário. Ainda se pode encontrar diversas vilas como essa, que tem cerca de 100 anos de existência. São casas pequenas e geminadas com portões amparados por colunas de pedra meticulosamente cortadas e desenhadas. O chão é coberto de enormes pedras que dão um aspecto de que o tempo gira mais devagar.

Bem ao lado dessa vila, após serem comprados todos os sobrados, foram abaixo todas as construções. Está sendo levantado um enorme prédio que deverá abrigar algumas centenas de novos moradores, com seus filhos, empregados, cães, gatos ... e carros ... e demandas por novos e velhos serviços.

A cidade parece crescer pra cima e não para os lados, concentrando demandas excessivas em um espaço muito pequeno. Na cidade do Rio de Janeiro já somos 6,5 milhões (2011) de habitantes e não paramos de crescer. Fica evidente a cada dia que os serviços públicos não conseguem acompanhar tanta demanda.

terça-feira, 3 de julho de 2012

Subida ao Alcantilado

Via Flickr:
Subida às cachoeiras do Alcantilado, Minas Gerais
Lamy Safari and watercolor on Moleskine Sketchbook (5.2X8.2 in)
Desenhado no local e posteriormente colorido.

Fiquei hospedado no Hotel Refazenda, que fica na Estrada Mauá-Maringá, km 5,5
Maringá - RJ, a 300m da vila de Maringá.

De lá se pode ter acesso a diversos passeios tanto para Minas Gerais quanto para o Rio de Janeiro. Esse desenho fiz enquanto subia a montanha para alcançar a última cachoeira de um conjunto de nove. Algumas são meio tímidas e outras bem legais.

A temperatura, para um carioca, atingia níveis glaciais, principalmente à noite. Durante o dia dava pra aguentar, mas parecia demasiado forte.

A estrada é péssima a partir de Visconde de Mauá. Tem lugares piores que péssima, são lunares as crateras e as pedras que ficam pelo caminho parecem sobras de explosões de pedreiras. Estava em um carro que suportava quase tudo. Em alguns trechos tive que recuar para tomar impulso e vencer as ladeiras escorregadias, pedregosas e esburacadas.

Mas a bela natureza compensa tudo...